As marcas da verdadeira igreja (5)

Pope Francis

Parte 5 de uma palestra sobre artigo 29 da Confissão Belga para o Encontro da Fé Reformada (Recife) no dia 1 de novembro 2013.

Se você vai genuinamente identificar a igreja; vocês precisam saber com o quê o Artigo genuíno se parece: e nós temos essas três marcas que ajudam a fazer essa relação; e se você não as tem na memória, quero urgir com vocês para que assim o façam.  São só três e não é difícil de memorizar, mas percebam que existem falsificações. Existem aquelas que a Confissão Belga diz que elas clamam para si o status de igreja de Cristo. Fala a respeito da falsa igreja de Cristo.

No passado alguns, meio que simplificaram a abordagem da Confissão Belga que é colocada aqui. Alguns dizem que existem duas categorias: a igreja ou é falsa ou é verdadeira. Uma ou outra, se uma igreja específica não tem as três marcas; então, ela tem que ser uma igreja falsa. Então, a igreja pode ter a pregação pura do evangelho, ela poderia ter a administração fiel dos Sacramentos, mas se ela falhasse na área de administração de disciplina; então, eles afirmam: “Ah! Então, essa é uma igreja falsa!” E isso que eles dizem, mas não é isso que a Confissão Belga ensina.

A Confissão tem uma outra categoria aqui que é frequentemente esquecida. Nos dias de hoje, não é muito popular, aceitável, utilizar esse tipo de linguagem, mas nós iremos utilizá-la de qualquer maneira: as seitas.  As seitas são aqueles grupos que clamam para si o status de igreja cristã, mas existe a ausência de uma área ou outra na sua existência. Agora, no contexto histórico de Guido de Brès, a maioria das igrejas Anabatistas eram consideradas seitas. É exatamente assim que Guido de Brès as identifica no seu grande livro a respeito dos Anabatistas. Eles não eram a igreja verdadeira, mas eles não eram também as falsas igrejas. Agora, para ser claro, crentes genuínos, que são verdadeiramente bíblicos, eles não pertencem às seitas. O lugar deles é nas verdadeiras igrejas do Senhor Jesus Cristo, eles devem ser chamados para fora das seitas. E todos nós temos a responsabilidade de nos separarmos das seitas; mas a falsa igreja está numa categoria que é dela própria.

É no final do Artigo 29, na falsa igreja, onde está a ênfase. Como é a aparência de uma falsa igreja? Primeiro ela tira a Palavra de Deus do lugar de primazia, ela ou coloca a Palavra de Deus no mesmo nível da palavra humana, ou a coloca debaixo da autoridade ou debaixo do local onde está a palavra humana. A verdadeira igreja mantém a doutrina do Sola Scriptura, em princípio e também na sua prática.  Sola Scriptura, somente a Bíblia; somente a Bíblia é a nossa autoridade para nos ensinar o que nós cremos e como nós vivemos. A falsa igreja sempre faz um tipo de matemática, é sempre mais: A Bíblia mais alguma coisa, a igreja diz a Bíblia mais o que os homens dizem, ou então ela vai dizer: A Bíblia mais as decisões da igreja. A falsa igreja não se submete ao domínio, ao jugo de Cristo, nós ouvimos essa expressão “o julgo de Cristo” na última vez, lembra-se: vem lá de Mateus 11. Esse domínio de Cristo são, exatamente, as instruções e os ensinos,  se submeter ao julgo de Cristo é aprender Dele. Mas percebe que a falsa igreja não quer aprender de Cristo, ela não quer pregar puramente o evangelho de Cristo; ela mistura o evangelho com o trabalho dos homens, das obras, ela vai dizer: olha, você vai precisa de Cristo para a Salvação, mas somente Cristo não. Percebe que é matemática de novo? É Jesus mais obras humanas, e quando vamos para os Sacramentos; de novo, a falsa igreja irá adicionar ou retirar de acordo como ela quer. Ela adiciona quantos mais Sacramentos ela quiser, e mesmo para aqueles Sacramentos que foram instituídos pelo próprio Cristo, ela diz coisas que não tem nada a ver, que não estão ordenados, mas Escrituras. Por exemplo, a falsa igreja adiciona cuspi ou óleo na administração do Batismo; ou então, tira o Cálice da comunhão na participação dos crentes. A falsa igreja é uma instituição centralizada no homem, de ponta a ponta.

E finalmente, mais um elemento essencial na identificação da falsa igreja:  a perseguição de crentes fiéis, de crentes genuínos.  Nós percebemos como a igreja verdadeira administra a disciplina naqueles que se desviam do caminho. A igreja falsa pune aqueles que são piedosos, aqueles que querem viver de acordo com as Escrituras, e que fala até dos caminhos errados e escusos que a falsa igreja está vivendo. E era exatamente isso que estava acontecendo em Atos 4.  A antiga igreja judaica tinha se tornado uma falsa igreja. Eles estavam perseguindo Pedro e João por pregarem o evangelho de Cristo. Eles disseram para ele: “parem de pregar!” Eles disseram: “calem-se com relação a Jesus!”. É isso o que a falsa igreja faz, ela não tolera o evangelho, e ela faz tudo o que ela pode para subvertê-lo, e para destruí-lo. A falsa igreja não consegue tolerar, suportar o Cristo revelado nas Escrituras. E se eles vão ter algum Jesus, eles vão ter o Jesus que ela inventou. Um Jesus criado por ela mesma.

Nos dias de Guido de Brès, todos conseguiam identificar quem se enquadrava nessa figura. A Confissão, obviamente, está se referindo à Igreja Romana, mas a igreja Católica Romana não é claramente endereçada; e essa é uma coisa boa! É bom porque essa identidade de falsa igreja não está restrita ao Papa e àqueles que o seguem. Já aconteceu de ter outras igrejas falsas no percurso da história, e continua havendo ainda hoje falsas igrejas. E pode até não ser legal ficar identificando falsas igrejas; mas nós precisamos falar a verdade. Mas, percebam, eu não estou aqui para dar uma lista de quais são as falsas igrejas, também não vou dar uma lista aqui para vocês de quais são as seitas que existem. Se vocês aplicarem corretamente o que encontramos aqui na Confissão Belga, a falsa igreja será fácil o suficiente de você detectar. Agora, percebam que identificar as seitas será um pouquinho mais desafiador, com um pouco de pesquisa, um pouco de reflexão e com muita oração, você certamente, chegará às conclusões que você precisa chegar.

Então, geralmente, pegamos uma lista de igrejas que estão em nossa cidade e marcamos: essa aqui é verdadeira, essa aqui é falsa, e essas aqui são as seitas.  O nosso chamado não é para fazer essa listinha, mas para identificarmos a nossa igreja local. Nós precisamos identificar a saúde da nossa igreja local. Podemos, cada um de nós, aqui clamar o status de Igreja Verdadeira de Cristo?  As marcas podem até estar lá? E rogo por amor de cada um de nós que essas marcas genuinamente estejam lá, mas se nós formos honestos em nossa análise vamos encontrar muitas coisas que estão marcadas, manchadas com o pecado. A verdadeira igreja de Cristo também é uma coisa: humilde. Ela admite as suas fraquezas e com a graça de Deus ela resolve ser ainda mais fiel. Uma pessoa uma vez, afirmou que a verdadeira igreja de Cristo não é um destino final como se alguém estivesse numa jornada. É mais no que diz respeito a uma direção na qual nós, enquanto cristão, desejamos trilhar na direção de Cristo. Uma vez que nós chegamos e que pensamos que finalmente nós chegamos naquele destino, uma vez que nós chegamos e dissermos que somos uma igreja perfeita, se nós não estivermos nos céus, nós estamos com um grande problema. Irmãos e irmãs, sejamos humildes! Lute para ser uma igreja verdadeira em fidelidade ao Senhor Jesus Cristo!

Mas, em outros momentos das nossas vidas, existem situações onde nós precisamos realmente fazer um julgamento.  Nós precisamos fazer o julgamento de outros que clamam para si o status da igreja de Cristo. E na sua providência, Deus nos coloca na condição de julgamento. Nós não estamos procurando essa situação, quando falei anteriormente, uma questão de educação ou uma mudança de trabalho, faz com que você mude de um local para outro, ou então, não de um lugar para outro, mas até de um país para outro. Pode acontecer até nas férias que você tira. Talvez, apesar de tanto você ter direcionado e ensinado seu filho, sua filha, pode ser que ele comece a se relacionar com alguém de outra igreja que se diz Cristão. Então, nessas circunstâncias teremos que aplicar judicialmente as instruções que encontramos no Artigo 29 da Confissão Belga. Nós encontramos as três marcas? E se não encontramos as três marcas, nós estamos lidando com uma seita ou com a falsa igreja? De qualquer maneira, nessas situações específicas que citei aqui você precisa tomar uma decisão.  Não é toda a igreja que clama para si o título de Igreja de Cristo que verdadeira é igreja, e de fato e muitas são muito perigosas para a sua vida espiritual. Ou até para a saúde espiritual daqueles os quais você ama.

Aprender a discernir estas marcas é uma parte importante do nosso crescimento enquanto cristãos. Em muitas áreas das nossas vidas precisamos discernir verdade do erro, e percebem que Satanás é o Pai da mentira, a Bíblia descreve como um leão que ruge, procurando alguém para devorar! Ele quer devorar você e os seus filhos, ele quer nos encurralar e nos levar para longe de Cristo; Cristo que somente Ele é o caminho a verdade e a vida. E uma das formas que Satanás nos encurrala para distante de Cristo é em termos uma visão relaxada e não comprometida com relação à igreja. Amados, estejam atentos, aprendam a discernir aquilo que é verdadeiro. Especialmente, no que diz respeito à igreja de Cristo.   Amém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s